Make your own free website on Tripod.com

 

"Seres descartáveis"  e a Palavra de Deus

FATOS DA VIDA QUE NOS FAZEM PENSAR:

Está internado em estado grave no Hospital Carlos Chagas o mendigo Rubens Batista da Silva, de 57 anos, vítima de um atentado, cometido por uma mulher loura, vestida de branco, que na manhã de ontem jogou álcool e ateou fogo ao seu corpo. (Jornal O Globo, 23/08/97).

Um mendigo de aproximadamente 35 anos foi internado no Hospital Socorro Vergueiro com queimaduras de segundo grau. O fogo foi provocado por cola de sapateiro em chamas. Populares disseram aos bombeiros que alguém ateara fogo no mendigo. (O Globo, 27/06/97).

A moradora de rua Auciléia Aparecida Soares dormia no coreto da Praça Doutor Sampaio Vidal, quando "alguém" jogou gasolina em torno dela e ateou fogo. (O Estado de São Paulo, 15/05/97).

Mês de julho, frio de 5o C. Duas crianças de rua semi-nuas pedem comida na porta de um restaurante, quando são surpreendidas por garçons que lhes jogam baldes de água com gelo. As crianças (aparentemente 6 a 8 anos de idade), saem aos berros pela rua central da cidade. (Fato presenciado em São Leopoldo).

Na sociedade de consumo, onde valores materiais são colocados em 1o lugar, pessoas são descartadas e até queimadas, como se fossem LIXO !!

Você já ouviu falar de casos assim, em que os pobres e indefesos são considerados e tratados como lixo?

A defesa das pessoas deixadas à margem da vida é central na Bíblia. Muitas leis sobre necessidades cotidianas assim o evidenciam. Uma das preocupações de Deus é com os que não tem onde dormir. Por isso, assim fala Êxodo 22.26-27: "Se você receber a capa do seu vizinho como garantia de uma dívida, devolva-a antes que anoiteça. Pois a capa é a única coisa que ele tem com que se cobrir quando dorme, para esquentar o corpo. Sem a capa ele não tem nada com que se cobrir. Quando ele clamar a mim pedindo ajuda, eu o atenderei, pois sou bondoso."

No Evangelho de Lucas, Jesus conta a parábola do rico e do Lázaro. Com muita atenção, compartilhemos a leitura (Lucas 16.19-31):

Jesus continuou: -Havia um homem rico que vestia roupas muito caras e todos os dias dava uma grande festa.

Havia também um homem pobre, chamado Lázaro, que tinha o corpo coberto de feridas, e que costumavam largar perto da casa do rico.

Lázaro ficava ali, procurando matar a fome com as migalhas que caíam da mesa do homem rico. E até os cachorros vinham lamber as suas feridas.

O pobre morreu e foi levado pelos anjos para junto de Abraão, na festa do céu. O rico também morreu e foi sepultado.

Ele sofria muito no mundo dos mortos. Quando olhou, viu lá longe Abraão e Lázaro ao lado dele.

Então gritou: "Pai Abraão, tenha pena de mim! Mande que Lázaro molhe o dedo na água e venha refrescar a minha língua porque estou sofrendo muito neste fogo!"

Mas Abraão respondeu: "Meu filho, lembre que você recebeu na sua vida todas as coisas boas, porém Lázaro só recebeu o que era mau. E agora ele está feliz aqui, enquanto você está sofrendo.

Além disso, há um grande abismo entre nós, de modo que os que querem atravessar daqui até vocês não podem, como também os daí não podem passar para cá."

O rico disse: "Nesse caso, Pai Abraão, peço que mande Lázaro até a casa do meu pai

porque eu tenho cinco irmãos. Deixe que ele vá e os avise para que assim não venham para este lugar de sofrimento."

Mas Abraão respondeu: "Os seus irmãos têm a Lei de Moisés e os Livros dos Profetas para os avisarem. Que eles os escutem!"

"Só isso não basta, Pai Abraão!", respondeu o rico. "Porém, se alguém ressuscitar e for falar com eles, aí eles se arrependerão dos seus pecados."

Mas Abraão respondeu: "Se eles não escutarem Moisés nem os profetas, não crerão, mesmo que alguém ressuscite."

COMENTÁRIOS PARA REFLETIR:

A parábola de Jesus fala de imagens: um rico que se vestia bem, comia bem, morava bem e um pobre que passava fome, estava cheio de feridas e dormia na rua. Depois os dois morrem. Aí começa uma segunda história que fala sobre a situação de cada um após a morte.

O rico e o Lázaro têm destinos diferentes. Para a cultura da época, o rico deveria ter o melhor destino! Riqueza era (e às vezes ainda é) considerada sinal da bênção e prêmio, e a pobreza era considerada castigo de Deus. Na parábola, Jesus inverte tudo. O rico foi para o "inferno", enquanto Lázaro foi diretamente para o "céu".

Lá do inferno, o rico vê Lázaro, e imediatamente pede a Abraão que mande Lázaro aliviar seu sofrimento, sua sede atroz, nem que seja "molhando a ponta do dedo na água". Aqui o texto mostra a atitude básica desse rico. Mesmo no "inferno", sofrendo dores imensas, ele ainda continua considerando a Lázaro como um serviçal, um ser inferior! Ele nem dirige a palavra a Lázaro, não pede ajuda de Lázaro, mas quer que Abraão dê ordens a Lázaro. Veja só, o preconceito contra os pobres ainda está na cabeça daquele homem rico.

Com isso, o problema vai muito além da situação social: o problema também está NA MENTE, na concepção de "pessoa" que o rico tem.

Deste modo, estão aí duas faces interligadas do problema. Uma é a estrutura da sociedade que cria ricos e Lázaros. Outra é a maneira de ver o outro, de ver aquele que não cabe dentro de "nossos padrões".

Vejam só, ao contrário da parábola de Jesus, quem não tem nome hoje são os pobres, os que não contam, os descartáveis. Por isso, incendiar um índio ou um mendigo pode ser encarado como "brincadeira". Quem enxerga no outro somente um objeto, distanciou-se do Reino de Deus e perdeu a noção de dignidade e do valor da vida.

Cada pessoa foi criada à imagem e semelhança de Deus, redimida por Cristo, por um grande preço, "o precioso sangue de Cristo".

Em Deus, não hé quem seja descartável, nem a criação, a natureza e muito menos qualquer pessoa. Uma sociedade que crê poder descartar a obra do Criador está se afastando dos planos de Deus. Anda na contra-mão da providência divina.

PARA DIALOGAR:

A gente sempre foi assim como Deus quer ou realmente precisamos pedir perdão a Deus e mudar de atitude e de pensamento?

No meio de toda desesperança, acontecem sinais de solidariedade, de partilha e de amor, SINAIS DO REINO JÁ HOJE. Como nós, enquanto COMUNIDADE DE JESUS CRISTO, podemos lançar sinais do Reino já hoje?

A esperança no Reino de Deus não nos deixa de braços cruzados! ("Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança das suas mentes." Romanos 12.2 a). – O que poderíamos fazer para que haja uma MUDANÇA DE MENTALIDADE em relação à vida das pessoas?