Make your own free website on Tripod.com

   Mateus 16.13-20    -   Semana Nacional das PPD’s

A GRAÇA DO SR. JESUS CRISTO, O AMOR DE DEUS O PAI E A COMUNHÃO DO E.S. SEJAM COM TODOS VOCÊS. Amém.

- Hoje estamos no final da Semana Nacional das PPDs. E por isso hoje somos convidados a meditar para COMPREENDER melhor a realidade das pessoas portadoras de deficiências, e, como é a nossa relação com estas pessoas! - O texto bíblico previsto para hoje nos ajuda neste sentido. Justamente porque as nossas relações pessoais (seja com deficientes ou não), as nossas relações têm diretamente a ver com o jeito com que o próprio Deus se relaciona com cada um de nós. - A pergunta é: Como nós tratamos as pessoas ao nosso redor?! Fazemos uma ESCALA DE DIFERENCIAÇÃO entre as pessoas? Ou agimos com todas de modo semelhante como Deus age conosco? - (LER O TEXTO)

Gostaria de destacar rapidamente as três partes / momentos deste texto:

O primeiro momento é a pergunta de Jesus para Pedro em relação a aquilo que o povo está achando dele, Jesus Cristo. Quem DIZEM que eu sou? E Pedro responde: olha, uns dizem que o senhor é João Batista, outros que é Elias. Outros ainda afirmam que és Jeremias ou algum outro Profeta. - (pessoas julgam pela aparência)

O segundo momento é marcado pela pergunta de Jesus que é dirigida diretamente a Pedro. E você Pedro quem você acha que eu sou? E Pedro responde: bom, o senhor é o Messias, o filho de Deus. - Pedro confessa sua fé / confiança em Jesus.

O último momento está diretamente ligado com a resposta de Pedro. Jesus declara que Pedro será o responsável pela construção da Igreja. Pedro sem dúvida é um felizardo! Talvez alguém diga: Puxa, mas Pedro? Justamente aquele que pisou na bola; aquele MEDROSO que NEGOU que conhecia Jesus, por três vezes?? - Se olharmos logo depois do nosso texto, ali no v.23, diz: "Jesus, voltando-se, disse a Pedro: Arreda! Satanás; tu és para mim pedra de tropeço, porque não cogitas das coisas de Deus, e sim, das dos homens." São palavras duras! Mas a grandeza do Evangelho está justamente aqui: Que Jesus edifica a sua Igreja sobre este Pedro QUE NÃO É PERFEITO. - Nós cantamos isto antes, no HINO 195, na 5ª estrofe: "Os discípulos todos, qual Pedro e André, homens falhos qual tu e eu, recebidos foram por Cristo Jesus..." - Ou seja, Jesus aposta num SER HUMANO que erra! Jesus quer dar um sentido para a vida de pessoas imperfeitas!

Que bacana essa confiança que Cristo deposita em Pedro. "Olha, é a partir de você que eu quero construir, criar comunidade. É a partir de você que eu pretendo edificar a Igreja." Cristo aposta em Pedro. Em nenhum momento Cristo pensou em criar comunidade, em criar Igreja a partir de pessoas perfeitas, sem falhas, sem erros e sem pecados. Esta é a proposta do Reino de Deus: DAR SENTIDO para a vida imperfeita da humanidade.

Aqui entra a ação da COMUNIDADE cristã, voltando para as perguntas iniciais: Agimos com as pessoas de modo semelhante como Deus age conosco? A comunidade cristã está sendo um ESPAÇO DE ACEITAÇÃO; está sendo um veículo de SENTIDO para as vidas das pessoas? - Nós nos reunimos em CULTO, anunciamos a Palavra de Deus também através do C.I., da J.E. da OASE, dos E.B.... Mantemos um trabalho de Assistência Social; a L.E. mantém a unidade odontológica móvel onde pessoas carentes recebem tratamento dentário gratuito.... Mas permanece a pergunta: Nas nossas relações, será que não podemos fazer mais que isso?

É por isso que, lembrando do LEMA DA SEMANA: "O que fizerdes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes", eu gostaria de concluir com uma história. Esta é uma história verídica, muito comovente, sob o título: "NÓS PODEMOS FAZER MAIS QUE ISSO":

A mãe, com apenas 26 anos, parou ao lado do leito de seu filhinho de apenas 6 anos, que estava morrendo de leucemia. Embora o coração dela estivesse cheio de tristeza e angústia, ela também tinha um forte sentimento de determinação.

Assim como qualquer outra mãe, ela gostaria que seu filho crescesse e realizasse seus sonhos. Mas agora, isso não seria mais possível, por causa da leucemia terminal. Mesmo assim, ela ainda queria que o sonho de seu filho se tornasse realidade. Ela tomou a mão de seu filho e perguntou: "Você alguma vez já pensou o que você gostaria de ser quando crescer? Você já sonhou o que gostaria de fazer com sua vida?"

"Mamãe, eu sempre quis ser um bombeiro quando eu crescer." – A mãe sorriu e disse: "Vamos ver se podemos transformar esse sonho em realidade."

Mais tarde, naquele mesmo dia, ela foi ao corpo de bombeiros local, onde se encontrou com um bombeiro de enorme coração. Ela explicou a situação de seu filho, seu último desejo, e perguntou se seria possível dar com o seu filhinho de seis anos uma volta no carro dos bombeiros em torno do quarteirão.

O bombeiro disse: "Veja, NÓS PODEMOS FAZER MAIS QUE ISSO! Se você estiver com seu filho pronto às sete horas da manhã, na próxima quarta-feira, nós o faremos um bombeiro honorário por todo o dia. Ele poderá vir para o quartel, comer conosco, sair para atender as chamas de incêndio! E se você nos der as medidas dele, nós conseguiremos um uniforme verdadeiro para ele, com chapéu, com o emblema de nosso batalhão, um casaco amarelo igual ao que vestimos e botas também. Eles são todos confeccionados aqui mesmo na cidade e conseguiremos eles rapidamente."

Na 4ª feira, o bombeiro pegou o garoto, vestiu-o em seu uniforme de bombeiro e escoltou-o do leito do hospital até o caminhão dos bombeiros. O garoto ficou sentado na parte de trás do caminhão, e foi levado até o quartel central. - Ele estava no céu! O garoto acompanhou todos os três chamados que ocorreram naquele dia na cidade! Em cada chamada ele foi em veículos diferentes: no caminhão tanque, na van dos paramédicos e até no carro especial do chefe do corpo de bombeiros. Ele também foi filmado pelo programa de televisão local. Assim, com seu sonho realizado, com todo o amor e atenção que foram dispensadas a ele, acabaram por tocar o garoto tão profundamente que ele viveu alguns meses a mais do que todos os médicos haviam previsto.

Uma noite, todas as suas funções vitais começaram a cair dramaticamente e a enfermeira-chefe, que acreditava no conceito de que ninguém deveria morrer sozinho, começou a chamar ao hospital toda a família.

Então, ela lembrou do dia que o garoto tinha passado como um bombeiro, e ligou para o chefe e perguntou se seria possível enviar algum bombeiro para o hospital naquele momento de passagem, a fim de ficar com o garoto.

No telefone, o chefe dos bombeiros respondeu: "NÓS PODEMOS FAZER MAIS QUE ISSO! (...)

Nós estaremos aí em cinco minutos! E faça-me um favor? No momento em que você ouvir as sirenes e ver as luzes de nossos carros, avise no sistema de som que não se trata de um incêndio. É apenas o corpo de bombeiros vindo visitar, mais uma vez, um de seus mais distintos integrantes. E você poderia abrir a janela do quarto dele? Obrigado!"

Cinco minutos depois, uma van e um caminhão com escada Magirus chegaram no hospital, estenderam a escada até o andar onde estava o garoto, e 16 bombeiros subiram pela escada até o quarto. E com a permissão da mãe, eles o abraçaram e seguraram e falaram para ele o quanto eles o amavam.

Com um sopro final, o garoto olhou para o bombeiro-chefe e perguntou: "Chefe, eu sou mesmo um bombeiro?" - "Claro, você é um dos melhores" – disse o chefe.

Com estas palavras, o garoto sorriu e fechou os seus olhos pela última vez.

E nós, diante do pedido de pessoas carentes, de amigos, filhos e parentes, temos respondido: "EU POSSO FAZER MAIS QUE ISSO" ?!

Lembremos sempre, que Jesus diz: "O que fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes."

Amém.

HINO - 170